Ontem, 5 de julho, faleceu em Hartford (Estados Unidos) o Cardeal Jean-Louis Tauran, presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso e que, em 13 de março de 2013, anunciou a eleição do Papa Francisco. O Cardeal de 75 anos sofria da doença de Parkinson.

O Purpurado nasceu em 3 de abril de 1943, em Bordeaux (França). Estudou na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, no Instituto Católico de Toulouse e na Pontifícia Academia Eclesiástica de Roma.

Foi ordenado sacerdote em 20 de setembro de 1969. Em 1975, ingressou no serviço diplomático da Santa Sé. A partir daquele ano e até 1978, foi secretário da Nunciatura na República Dominicana. Entre 1979 e 1983, foi secretário da Nunciatura no Líbano. Em julho de 1983, incorporou-se como membro da equipe do Conselho para os Assuntos Públicos da Igreja.

Foi nomeado Secretário para as Relações com os Estados da Secretaria de Estado do Vaticano em dezembro de 1990 e recebeu a consagração como bispo em 6 de janeiro de 1991.

Foi criado cardeal em 21 de outubro de 2003. Participou dos conclaves de 2005 e 2013. Em 25 de junho de 2007, Bento XVI o nomeou Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso.

Entre suas distintas missões, viajou para Riad, capital da Arábia Saudita, de 13 a 20 de abril de 2018. Foi um evento histórico por ser a primeira vez que um chefe de um dicastério do Vaticano visitava este país muçulmano, em cujo território estão Meca e Medina, dois lugares santos do islã.

No país árabe, o Cardeal Tauran pediu um bom tratamento para com os não muçulmanos e os cristãos, que “nunca devem ser considerados cidadãos de ‘segunda classe’”.

Além disso, foi o Cardeal que anunciou a eleição do Papa Francisco no conclave de 2013.

Naquele dia, lutando contra a doença de Parkinson que o afetava, pronunciou o tradicional “Habemus Papam!” (Temos Papa) diante de milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano.

o Papa Francisco manifesta seu pesar pela morte do purpurado, recordando a sua fidelidade e o amor pela Igreja.

“O cardeal Jean-Louis Tauran, que confio à misericórdia de Deus, marcou profundamente a vida da Igreja universal. Entrou no serviço diplomático da Santa Sé e exerceu com competência, entre outros, o cargo de secretário das Relações com os Estados. Nomeado pelo Papa Bento XVI presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, foi um conselheiro ouvido e apreciado, de modo particular, graças às relações de confiança e estima que soube estabelecer com o mundo muçulmano”, destaca Francisco no texto.

Papa Francisco manifestou seu pesar pela morte do purpurado, em telegrama enviado a família do Cardeal.

“Por causa de seu espírito de serviço e seu amor pela Igreja eu o nomeei Camerlengo da Santa Igreja Romana. Mantenho uma lembrança comovente deste homem de profunda fé que corajosamente serviu a Igreja de Cristo até o fim, não obstante o peso da doença. Que o Senhor acolha o seu servo na paz e na alegria que nunca terminam”!

O Papa conclui o telegrama, abençoando toda a família do cardeal Tauran, o Colégio Cardinalício, todas as pessoas próximas ao purpurado falecido, os pastores e fiéis da Arquidiocese de Bordeaux, e todas as pessoas que participarão de suas exéquias.