Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Notícias

10º Muticom: educomunicação na vida pastoral da Igreja

10º Muticom: educomunicação na vida pastoral da Igreja

Com uma missa presidida pelo bispo de Joinville, Dom Francisco Carlos Bach, deu-se início às atividades do 10º Muticom na manhã de quinta-feira, dia 17 agosto. Após a celebração eucarística, houve uma conferência sobre o tema "educomunicação na vida pastoral da Igreja", proferida pela Ir. Helena Corazza, ex-Presidente da SIGNIS Brasil.   Para ela, educomunicação é uma maneira de ser e de agir, um estilo, uma maneira de se comportar, mas requer uma série de técnicas para este modo de ser e agir, a fim de desenvolver toda pastoral e movimentos da Igreja, além de produtores e usuários de conteúdo divulgado pela mídia.   Em entrevista à Rede Católica de Rádio (RCR), Irmã. Helena Corazza disse que a "educomunicação tem princípios e atitudes. O primeiro é diálogo e participação, e por isso é importante que as pessoas das pastorais estejam conscientes de que a comunicação e pastoral devem caminhar juntos. Então, o diálogo é muito importante na pastoral, e não apenas alguém responsável. Depois, preparar para a comunicação, produzir, mesmo no facebook, no WhatsApp, que produz informalmente a informação, devem ser bem preparados e sempre com respeitando valores, como valores humanos, cristãos e cidadãos".   Ao ser questionada se o ouvinte de uma estação de rádio ou navegador de portais de internet e redes sociais são educados para fazer uma leitura crítica dos conteúdos, a religiosa perguntou se os ouvintes ou utilizadores de conteúdo estão pensando: “Há notícias. Eu me pergunto se isso é verdade? Você tem uma distância crítica? Comparo com informações de outro site para verificar a informação em vez de simplesmente jogar e compartilhar conteúdos que muitas vezes não são verdadeiros? O que infelizmente acontece muito, é que há muitas notícias falsas. Por isso é muito importante que, quando você assistir TV, quando você vir um romance, sempre pensar: e como é na vida real? Então este é um exercício que deve executar cada pessoa, e por isso a Igreja também tem a obrigação pastoral de ajudar."   Referindo-se ao fato de que, atualmente, quase todos ou a grande maioria dos usuários da rede podem ser tanto consumidores quanto produtores de conteúdo, a irmã insistiu na responsabilidade de produzir conteúdo bem feito e bem preparado, de acordo com princípios éticos. Ela reconhece que o perigo é que as plataformas são gratuitas, para que todos possam ser produtores e, portanto, é necessário, no momento de produzir algum conteúdo, ver que "linguagem é correta, qualquer pessoa pode rever algo, você quer saber quando você deve postar alguma coisa, então se perguntar: o que vou postar? qual é o objetivo de publicar certas fotos? então você precisa fazer uma auto-crítica em primeiro lugar para, em seguida, publicar alguma coisa ".   Signis Brasil/Signis ALC 
Signis Brasil se reúne com presidente da Signis ALC, Carlos Ferraro

Signis Brasil se reúne com presidente da Signis ALC, Carlos Ferraro

Articular projetos de Educomunicação nos países da América e Caribe: esse é um dos objetivos do presidente da Signis AL, Carlos Ferraro, na sua visita ao Brasil durante o 10º Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom), que ocorre até o dia 20, em Joinville (SC).     Na manhã desta quinta-feira, dia 17, Ferraro esteve reunido com a diretoria da Signis Brasil e conheceu como estão articuladas as várias iniciativas de comunicação, nos setores de rádio, televisão, impressos e produção audiovisual.   “É uma associada forte em matéria de comunicação, de profissionais e de meios, o que permite levar conteúdos para outras regiões. Especialmente há um tema muito sensível que vocês têm, um grande trabalho que nós queremos atravessar toda a América Latina – a Educomunicação”, salientou Ferraro.   O presidente da Signis, destacou ainda a singularidade da articulação dos meios de segmento católico no Brasil.   “O nosso encontro foi muito rico, porque mostrou a capacidade da Signis Brasil, com rádios católicas, redes de televisão, impressa, meios digitais, há uma articulação da Signis Brasil, com toda a capacidade dos meios católicos no país”, enfatizou.     Sobre o encontro, o presidente da Signis Brasil, frei João Carlos Romanini, disse que a intenção foi apresentar o novo presidente da Signis AL, e com ele a realidade do continente.   “Porque nós fazemos parte de uma América Latina e Caribe, com necessidades específicas. O Carlos Ferraro veio trazer esta dimensão latino-americana e nos desafiar a nos comprometermos com essas causas que a AL vem discutindo. Entre elas, a cultura da paz, da preservação, um olhar mais instigante para a realidade amazônica e a realidade das cidades”, ressaltou.      Durante o encontro, o presidente da Signis Brasil, frei João Carlos Romanini, confirmou que a próxima produção colaborativa da Signis, abordará as Comunidades Quilombolas no Brasil. O material multimídia será lançado em 20 de novembro (Dia da Consciência Negra).    Roseli Rossi Lara – Rede Scalabriniana Jornalista correspondente em Joinville (SC) no 10º Muticom